Acerta desta vez, São Pedro

Ui!
Ele voltou! A gente nem teve tempo de sentir saudades.
Depois de um período onde o frio praticamente nem tinha dado as caras a ponto de nos deixar assustados com as temperaturas altas, agora há o alívio geral.
Sabemos que os culpados deste desajuste somos nós mesmos. Mas vai perguntar o que cada um realmente anda fazendo para que o caos não se instale de vez, que resposta concreta ninguém dá. O planeta está mudando, o tempo está mudando. Só a gente não toma vergonha de verdade.
Alguns culpam São Pedro. Acham que está meio confuso e já não consegue se lembrar das características de cada estação. Outros, que o bom velhinho está demente ou com Alzheimer. Há os que dizem que o coitado, trêmulo, aperta errado as teclas do seu iMac confundindo inverno com primavera ou outono com verão e, como resultado, as temperaturas ficam desajustadas. Será?
Neste último mês ele acertou. O friozão de verdade já andou batendo à nossa porta. Há quem diga que as temperaturas registradas não eram vistas fazia quase uma década. Agora as toucas, casacos e cachecóis são peças imprescindíveis. Lavados ou arejados nos sorriem no armário cada vez que o abrimos, prontos para desfilar por aí. Ao levantar, o ritual é sempre o mesmo. Vestimos camadas e mais camadas de agasalhos. Durante o dia, tal qual cebola, vamos descascando estas camadas e tornamos a vesti-las antes mesmo do final da tarde chegar.
A preocupação com o comércio que estava as moscas, agora dá lugar ao alívio de ver as belas vitrines conquistarem nossa vontade de comprar. E assim, ao final do dia, os funcionários precisam organizar as mercadorias que foram sendo largadas ao longo dos balcões e prateleiras. Cadê o tempinho para o ócio? Para dar uma fugidinha no sol?
Com o frio morando por aqui a gripe nesta temporada veio bem mais forte assustando os desatentos. E as farmácias, estas sim, continuam faturando.
No litoral o frio também chegou. O vento sul tem passado por aqui com mais frequência. E, com o frio e o vento, chegaram as tainhas. Os freezers nas casas dos pescadores estão cheinhos. Fala sério! Quem não gosta de saborear uma bela tainha assada? E se for recheada com paçoca de pinhão, então? É de trancar a casa e fechar as cortinas.
Com a vinda do frio intenso, as cidades que vivem do turismo de inverno estão recuperando as finanças. É bom ver que todos se prepararam para receber os visitantes.
Agora é esperar que as previsões de neve se confirmem desta vez e, assistir de camarote nossa vedete vestir de branco os campos, vegetação, telhados. Amo ver as cercas e fios de arame, quando o dia amanhece, pintados pelo maior artista do universo. Amo quando o sol nasce e seus raios refletem no branco, como se fosse uma benção dos céus.
Vai lá São Pedro, dá uma forcinha aí. Olha bem o teclado. Desta vez aperta a tecla NEVE, depois CONFIRMA.