Galeria De Arte Da Villa Francioni Expõe Obras De Guido Heuer

São Joaquim – Guido Heuer, 63 anos, um dos artistas mais importantes de Santa Catarina, abre no dia 21 de setembro, às 14h, a exposição “Espaço em Movimento” na galeria de arte da vinícola Vila Francioni, em São Joaquim. São 12 obras produzidas especialmente para a mostra na Serra catarinense, confeccionadas com pintura acrílica, inox e latão gravado sobre alumínio. Com isso, a vinícola dá continuidade à programação de exposições criada pelo artista plástico e gestor cultural Edson Machado, que responde pela curadoria dos eventos da galeria.
Nascido em Blumenau em 1956, Guido Heuer produz desde a década de 1970, já expôs em diversas cidades do Brasil e do exterior e tem obras monumentais em espaços públicos no Estado. “Os objetos em relevo e as cores firmes criadas pelo artista provocam a imaginação no espectador”, afirma Edson Machado. Ele pergunta: “Serão galáxias planetárias, estações espaciais ou conexões orgânicas?”. Para o curador, o universo criativo do artista é “um misterioso mapa do futuro”.

Boa parte da obra de Guido Heuer é executada em metal, técnica que herdou do avô, que usava o bronze para produzir peças mortuárias, seguindo uma tradição entre os povos de ascendência germânica. Depois de uma breve passagem pelo jornalismo, em 1971, ele decidiu dedicar-se ao artesanato, etapa inicial de uma carreira que enveredou pela arte nos anos seguintes.
Heuer foi influenciado pelo movimento artístico criado por Elke Hering e Lindolf Bell, fundadores da Açu-Açu, primeira galeria de arte do Estado, em Blumenau. Depois do contato com as nuances da arte contemporânea, ele passou a realizar exposições frequentes, em sua cidade e fora dela. Participou de coletivas na Europa e Estados Unidos, levou obras de grandes dimensões para as ruas e se tornou referência na arte pública, que quebra a frieza do concreto nos centros urbanos.
Sobre ele, escreveu o poeta Dennis Radünz: “A escultura de Guido não tem discurso e, por isso, não impõe ou delimita uma única leitura. Mais pergunta do que resposta, sua obra é ideia em estado de matéria metamórfica: as ações do tempo inscrevem no seu corpo, dia a dia, desenhos novos, rasuras na ferrugem que são o testemunho do escoar das estações”.
CRIATIVIDADE E BOM GOSTO
A presidente do conselho de administração da Villa Francioni, Daniela Borges de Freitas, incentiva as manifestações culturais que vêm ocorrendo na vinícola. “Queremos estimular a criatividade e o bom gosto pelas artes em nossa região”, diz a empresária.
A exposição “Espaço em Movimento” permanece aberta gratuitamente ao público até 25 de novembro em São Joaquim. Antes dessa mostra, a vinícola promoveu uma individual do artista paulista Evandro Schiavone, do AR Escritório de Arte, que abriu a programação artística da galeria sob a curadoria de Edson Machado.