Governo retoma diálogo para implantar mirante na Serra do Rio do Rastro

Bom Jardim da Serra – “Se por um lado existe o desejo do governo de executar essa obra, por outro, há muita indefinição. E se for para pegar meu projeto e fatiar com outros projetos para compor um terceiro, discordo dessa ideia do governo. Aceito fazer adequações em meu projeto, mas não canabalizar para misturar a outro”.

O posicionamento é do empresário Moacir Bogo, único a apresentar até agora projeto para construir uma plataforma de vidro no mirante da Serra do Rio do Rastro, se referindo ao Termo de Cooperação Técnica de Deflagração de Procedimento de Manifestação de Interesse, anunciado na tarde desta terça-feira (04), em reunião no Clube Bonjardinense.

A proposta de implantação de um equipamento turístico no Mirante da Serra, em Bom Jardim da Serra se arrasta há pelo menos uma década. A retomada da discussão entre governo do estado, empreendedores, prefeituras e comunidade em geral foi retomada pela presidente da Santur, Flavia Didomenico na reunião que durou pouco mais de uma hora. E teve participação do diretor da SCPar, Fabiano Ramalho e do diretor de planejamento da Santur, Leandro Mané Ferrari.

Além do prefeito Serginho de Oliveira, o presidente da Câmara de Vereadores Ademir Nunes de Jesus e o secretário executivo da Amures Walter Manfroi acompanharam a reunião. A partir de agora, a Santur e a SCPar iniciam a acolhida de Manifestação de Interesse (PMI) de futuros empreendedores que queiram investir no mirante da Serra do Rio do Rastro.

A intenção do estado não ficou bem clara, mas deve ser de concessão pública ou parceria público-privada (PPP). “Esse processo vai contemplar toda comunidade e a produção associada do turismo. E será mais um atrativo de porte internacional de Santa Catarina”, disse Flávia Didomenico, explicando que após as manifestações de interesse será feito chamamento público e recebidas as propostas. Para depois fazer a modelagem da concessão do mirante da serra.

Empreendedor lamenta não estabelecer prazos

Não foi definido prazo para o cumprimento das etapas, mas o prefeito Serginho de Oliveira destacou a importância do empreendimento no mirante, sem esquecer dos empresários e comerciantes locais. “Só queremos que nossos empreendedores tenham oportunidade de fazer parte deste complexo”, reiterou o prefeito.

Operador dos teleféricos de Balneário Camboriú, Canela (RS) e Aparecida do Norte (SP), Moacir Bogo revelou que aperfeiçoou o projeto da plataforma do Rio do Rastro. “Além da contemplação teremos equipamentos muito forte de adrenalina. Prefiro não adiantar muito, porque tenho interesse nessa concessão”, resumiu o empresário.

Ele recordou ter realizado todo levantamento e sondagem no mirante da serra, com medições e até altimetria. E lamentou que haja uma certa insegurança do poder público, dos empreendedores e das entidades de proteção ao meio ambiente, de acreditar no turismo. Moacir Bogo não escondeu um certo receio, pelo estado não ter estabelecido prazo para as etapas da concessão e se confortou “para quem está a mais de uma década esperando, vamos aguardar mais um pouco”.