Leão baio é resgatado na área urbana de Lages

Publicado por Anselmo Nascimento
PDF
Imprimir
Dom, 29 de Outubro de 2017 21:49
Lages - Um leão baio, uma espécie ameaçada de extinção, foi encontrado na casa da familia de Daiane Bloteski Pereira, na Rua Vergilio Ramos, 
no bairro Morro do Posto, em Lages. Também conhecido como puma concolor, suçuarana ou onça-parda, o felino foi avistado em um canil ao lado da casa. 
 
Era por volta das sete horas da manhã de sábado e a familia acionou o Corpo de Bombeiros, que pediram auxílio a Policia Militar Ambiental (PMA). O veterinário Atila Costa ajudou no salvamento. O animal, assustado, subiu em uma árvore, mas foi sedado pelo veterinário, para que pudesse ser resgatado em segurança. 
 
O animal caiu da árvore, e foi pego na Avenida Belisário Ramos, no Centro, e encaminhado pela Policia Ambiental para o hospital veterinario da Unifacvest, onde passou por exames para verificar as suas condições de saúde. O leão baio pesava mais de 33 quilos. Ele fez exames de sangue e radiografias, além de todos os procedimentos de sedação e analgesia, para não sentir dor. 
 
O veterinário Atila Costa explica que "O puma pode pegar vírus de gatos domésticos (europeus)", por isso a importância da realização dos exames. Sabre as condições gerais de saúde do animal, o veterinário explica que ele apresentava lesões antigas no dorso, provavelmente arranhadura por garras e uma pequena laceração na cabeça. 
 
"No raio-x não foi encontrado nada e no ultrassom abdominal houve o registro de linfonodo aumentado, que pode ser uma leucemia felina.  O resultado do teste sairá nesta terça-feira". No entanto, o animal passa bem e foi encaminhado a uma área de preservação, em Campo Belo do Sul, para viver em seu habitat. 
 
Segundo o sargento Juliano da PMA, o leão baio está na lista do Ibama dos animais ameaçados de extinção e é comum ser encontrado abatido nas áreas rurais da região. Ele esclarece que o abate de cada animal gera multa de R$ 5 mil. 

Animal pode ter vindo afugentado por outro
 
Conforme o veterinário Atila, o felino encontrado é subadulto de puma, que veio parar na cidade provavelmente afugentado por outro macho, já que ele apresentava arranhões na lombar. 
 
Ele explica que os pumas são altamente territorialistas, ou seja, se um macho aparecer no território de outro, esse macho rastreia o território até ele sair ou até ocorrer agressão direta. A principal causa de morte de puma de vida livre é a agressão intraespecífica (da mesma espécie). 
Quem controla a população de pumas são eles mesmos. "Os machos matam filhotes e outros machos, isso que determina um equilibrio nessa espécie de felinos selvagens", ressalta o veterinário.
 
Info: Gislaine Couto 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

2011 Rodrigo Produções Internet Design - Tecnologia Progressiva para a Internet