São Joaquim perde Monsenhor Blévio Oselame uma das grandes lideranças da cidade

Publicado por Anselmo Nascimento
PDF
Imprimir
Seg, 05 de Fevereiro de 2018 18:50
São Joaquim - A comunidade joaquinense perde um de seus grandes ícones do seu desenvolvimento, Monsenhor Blévio Oselame, aos 91 anos,
deixando um grande legado na história do município.
 
No ano de 2000, o Jornal Mural, realizou um grande evento no Clube Astréa, onde homenageou diversas pessoas da comunidade joaquinense, entre elas o Padre Blévio. Confira a seguir o texto publicado no Caderno Especial dos 10 anos do Mural, no mês de novembro, pela jornalista Nina Velho.
 
Monsenhor Blévio está sendo velado na Igreja Matriz, desde as 13h desta segunda-feira, dia 5 de fevereiro e seu enterro está marcado para acontecer amanhã na Capela da Santa Cruz às 15h, onde seu caixão será levado pelo Corpo de Bombeiros até o seu local de sepultamento.
 
Pároco obreiro de São Joaquim

Além do destaque na realização de obras em prol de São Joaquim, teve também forte atuação como comunicador.
 
Há 43 anos na Paróquia de São Joaquim, Padre Blévio Oselame se tornou um líder respeitado, admirado e muito conhecido. Aos longo desses anos, além de atrair grande número de fiéis para a igreja, deixou sua contribuição em vários segmentos como educação, politica, comunicações e agricultura. E apesar do seu tipo exigente, como ele próprio se auto denomina, causando até a impressão de um homem severo e muito bravo, conseguiu despertar uma grande estima por grande parte dos joaquinenses.
Nascido em 11 de fevereiro de 1926 em Urussanga-SC, aos 14 anos de idade Padre Blévio veio com os pais, José Oselame e Tereza Crestani Oselame, para a região serrana, radicando-se em Urubici, na região que hoje pertence a Rio Rufino, onde ainda reside parte da família.

Interessado desde muito cedo pelos estudos, logo que entrou para o colegial (2º grau), em regime de internato na cidade gaúcha de Caxias do Sul no ano de 1941, Padre Blévio sentiu que tinha a vocação para o sacerdócio. Foi amadurecendo a inspiração e, orientado pelos pais, decidiu ingressar no Seminário da mesma cidade, onde ficou por seis anos, e mais tarde cursar a faculdade de Filosofia e Teologia em São Leopoldo-RS.
Em 8 de dezembro de 1954, por ser Santo, o jovem seminarista recebe do Papa Pio XII autorização para ser padre. Isso antes mesmo de ter concluído sua formação em Teologia. A ordenação foi realizada na Catedral Diocesana de Lages, pelo Bispo Dom Daniel Hostin. Um ano mais tarde, Padre Blévio volta para concluir a Faculdade de Teologia e em 1956 assume a Paróquia de Piratuba, Peritiba e Esteves Júnior, no meio oeste catarinense.

No dia 1º janeiro de 1957, Padre Blévio chega a São Joaquim para assumir a Paróquia e passa a se dedicar a um trabalho de reunir todos na fé de Jesus Cristo. Num convívio ao lado da comunidade, começa a atuar também com iniciativas de incentivo ao crescimento econômico do município, e com recursos provenientes de amizades, resultados de festas comemorativas e doação de materiais por pessoas da comunidade, realiza várias obras importantes. A primeira seria a conclusão da igreja matriz, onde termina de pagar as altas dívidas remanescente da obra e coloca os altares. Depois o Salão Paroquial Frei Rogério e a Casa Paroquial, não citando as suaa realizações materiais e espirituais no interior do município, que seria um vasto leque.

Padre Blévio é um dos sócios fundadores da Rádio Difusora e foi o primeiro a possuir rádio amador, televisão e antena parabólica dem São Joaquim.
Na educação Padre Blévio teve atuação importante, além da realização de grandes obras como a construção do Colégio São José, da residência das irmãs diretoras do colégio onde hoje está localizado a Secretaria Paroquial e da Escola Técnica de Comércio, que foi o Colégio Cenecista e hoje Escola Básica Estadual Martinho de Haro. Foi inspetor Escolar por quatro anos e por muito tempo ministrou aulas nesses dois estabelecimentos de ensino.

Ele foi também responsável pela construção da Casa de Formação e um dos precursores da rádio difusão, levando informação, educação e fé aos quatro cantos do município através do seu programa de rádio a Voz do Vigário, que completa 37 anos.

Atualmente Padre Blévio é vigário paroquial “emérito” e continua na Casa Paroquial com seus trabalhos religiosos. Realiza diariamente, das 11:30 às 12;00 horas o seu progrma A Voz do Vigário e desde junho de 1998 é colaborador do Jornal Mural, atrvés da coluna Acredite se Quiser, onde aborda os mais variados temas, tanto religiosos quanto informativos em geral.
 
Possui uma biblioteca riquíssima, com obras de todas as linhas que diariamente são lidas. E sendo um religioso, vive como um cidadão comum envolvido nos mais variados segmentos, sempre pronto a oferecer apoio espiritual aos que batem a sua porta.
 
Texto: Nina Velho 
 
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

2011 Rodrigo Produções Internet Design - Tecnologia Progressiva para a Internet