Aberta a temporada de indignação

Publicado por Coluna Suzi Aguiar
PDF
Imprimir
Qui, 30 de Agosto de 2018 23:04
É dada a largada rumo a um novo pleito eleitoral e as promessas e acusações voltam, sempre em novas proporções. O poder aguça e na luta por ele vale tudo.

Ao lermos a filosofia de qualquer um dos partidos políticos, ficamos admirados. São muito consistentes. Mas só no papel! Na prática, quando eles passam a ser “candidato eleito”, acaba o comprometimento com a filosofia do partido, com a ética, com a democracia, com os projetos apontados durante a campanha. Acaba o compromisso com o povo.

O quadro atual está feio! Na esfera nacional os candidatos que muito bem se colocam são velhos caciques, acostumados às manhas de o que dizer para ludibriar os menos esclarecidos ou, aos cegos por vontade própria. Os candidatos não tão populares não tem competência nem para participar de um debate político, apresentando vocabulário grosseiro, discurso inconsistente, ideias mirabolantes sem base legal. Como será nosso futuro se um destes for eleito para administrar o país e nos representar perante o mundo?

Os absurdos não param por aí, ainda há na lista um candidato preso buscando direito de participar da eleição. E pasmem, é apontado como o primeiro numa pesquisa popular – para mim, inverídica. Seria mesmo que o povo quer de novo para o seu país o governo mais corrupto que a história registrou?

Como não ficarmos indignados?

E o que dizer do nosso Poder Judiciário? Lá também há corruptos. Aos poucos, os caciques presos vão sendo soltos e abrindo jurisprudência para a soltura do maior corrupto que a história deste país escreveu. Aí é colocar a viola no saco e ir embora deste país.

Estamos num mato sem cachorro! Eu queria estar esperançosa depois da avalanche de corrupção desbaratada pela operação Lava Jato, depois de ver grandes figuras trancafiadas atrás das grades. Eu queria crer num novo tempo, com novos políticos, com cidadãos comprometidos. Mas com a lista de candidatos para presidente - e também para governador do nosso estado - está difícil nutrir o sentimento altruísta.

O que esperar do futuro?

Nesta sexta-feira começam as propagandas em Rádio e TV e assistiremos promessas e mais promessas, que sabemos, não serão cumpridas. Os candidatos da oposição apontam falhas dos gestores atuais e como irão fazer melhorias. Os da situação estampam as poucas coisas boas que fizeram mascarando, no entanto, o que deixaram para trás, o que não cumpriram. Há sempre dados mentirosos, pesquisas encomendadas. Há sempre denúncia de funcionários fantasmas, de cabides de emprego, propinas, abuso de poder.

O roteiro é sempre o mesmo. A encenação também! Do outro lado, na plateia, como bobos da corte estamos nós, acuados de novo, assistindo a tudo, tentando separar os vilões dos mocinhos.

“Nunca na história deste país” nosso papel de cidadão foi tão importante! Vamos fazer jus ao poder que está na ponta de nossos dedos, por um Brasil que quer varrer toda a sujeira que nos foi imposta desde muito tempo
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

2011 Rodrigo Produções Internet Design - Tecnologia Progressiva para a Internet