Investimentos devem impulsionar o turismo na Coxilha Rica

Publicado por Anselmo Nascimento
PDF
Imprimir
Qua, 05 de Junho de 2019 09:44
Lages - Capão Alto - Vasta, com rios de águas límpidas, belezas naturais únicas, animais nativos e taipas centenárias, a Coxilha Rica, na Serra Catarinense, 
sempre atraiu a atenção de turistas do mundo todo, apesar de a procura ser pontual e limitada. Uma das maiores dificuldades era o acesso de chão batido, principalmente em dias de chuva e para veículos de pequeno porte.
 
Mas obras importantes, em andamento, devem mudar essa realidade e alavancar o turismo na região. Na lista de investimentos estão a pavimentação da SC-390 e a construção de um hotel de luxo, o que deve aumentar a atividade turística na região.
 
As obras da rodovia estão em andamento. O trecho compreende 27 quilômetros, entre a Localidade de Vigia até a encruzilhada de acesso às localidades de São Jorge e Bodegão. A pavimentação é custeada com recursos do Governo do Estado, com investimento de cerca de R$ 50 milhões.

As obras do hotel, também estão andando. Denominado Hotel Fazenda Cerro Azul, é uma iniciativa de investidores da construção civil da cidade de Blumenau. A construção, situada na Localidade de Vigia, em Capão Alto, começou em novembro de 2017 e deve ser concluída no ano que vem. Ao todo, são R$ 18 milhões de investimento privado.

Nos últimos anos, a Coxilha tem atraído a atenção de turistas de várias partes do Brasil e até do exterior. São pessoas que procuraram a região para participar de cavalgadas, esportes de aventura, observação de pássaros, como o papagaio-charão; ou para apreciar os rios com águas límpidas, as belezas naturais únicas, os animais nativos e as taipas centenárias, dentre outros atrativos.

Assessora de turismo da Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures), Ana de Vieira informa que o turismo equestre é um dos destaques da Coxilha. No ano passado, aproximadamente 200 estrangeiros visitaram a região. São americanos, canadenses, escoceses e ingleses, por exemplo. Os grupos costumam ficar até uma semana percorrendo, a cavalo, as fazendas históricas, onde param para almoçar, jantar e pernoitar.

Na avaliação de Ana, a tendência é que o número de visitantes cresça com a pavimentação da SC-390 e a construção do hotel de luxo. “Turismo se faz com investimentos, e é preciso que a iniciativa privada enxergue isso.” Para ela, o hotel vai servir como âncora para atrair outros investimentos em seu entorno.

Ana afirma que o projeto de pavimentação da estrada contempla, por exemplo, a implantação de sinalização turística, com pontos de observações ao longo da via. Por consequência, a estrada deve ajudar a impulsionar o turismo na região.

Sônia Ramos Martins, proprietária da fazenda Lua Cheia, que recebe turistas estrangeiros, acredita que esta gama de investimentos vai fortalecer ainda mais a atividade turística na Coxilha. “O hotel vai atrair turistas, além disso, gerar empregos e favorecer a distribuição de renda,” opina ela, que reside na Localidade de Escurinho, em Capão Alto, a cerca de 11 quilômetros da SC-390.

O executivo de turismo da prefeitura de Lages, Luis Carlos Pinheiro, também concorda que as transformações vão atrair o interesse de mais investidores, impulsionando o desenvolvimento. “Os investimentos vão aumentar a capacidade de infraestrutura turística na região, favorecendo a geração de riqueza e renda”, declara, observando que, atualmente, o turismo representa 9% do PIB do município.

Investimentos
 
O Hotel Fazenda Cerro Azul está sendo implantado na Localidade de Vigia, em Capão Alto, a cerca de 5 quilômetros da BR-116. Com vista para um grande lago e para a vastidão da Coxilha Rica, de um lado, e para centenas de araucárias, com um pôr-do-sol deslumbrante.

O empreendimento contará com 42 apartamentos, divididos em 36 de luxo e seis superluxo. A construção teve início em novembro de 2017 e deve ser concluída no ano que vem. O investimento é do Grupo Sforza Construtora, de Blumenau, por meio dos empresários Élvio Francisco Presa e Soraia Taufenbach Presa.

Em seu interior, o hotel terá muito luxo e conforto. Contará com auditório, restaurante, adega de vinhos e cerveja, lareira, bar, sala de jogos, academia, SPA, sauna, piscina coberta, área de hidromassagem e heliponto.

Oferecerá experiência gastronômica e cultural completa, além das atividades cotidianas de uma fazenda. Na parte externa, será construída uma igrejinha, que poderá ser usada pelos visitantes para casamentos, por exemplo. Ao todo, são cerca de 5 mil metros de área construída.

Quando estiver funcionando, o empreendimento vai gerar cerca de 50 empregos diretos, com mão-de-obra oriunda, fundamentalmente, do município de Capão Alto. “Projetamos o hotel pensando no frio da região. Tudo foi pensado para que o visitante tenha contato e sinta a região. Será como um navio cruzeiro,” destaca Soraia.

Ela afirma que a intenção é aproveitar o potencial turístico da Coxilha, como as fazendas históricas e centenárias, para, em parceria com os demais empresários do setor, organizar roteiros programados com turistas, explorando a riqueza local. Por fim, Soraia faz um apelo aos empresários para acreditarem mais na Coxilha e, de forma responsável, passem a explorar as belezas e a riqueza histórica e cultural da região.
 
 
 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

2011 Rodrigo Produções Internet Design - Tecnologia Progressiva para a Internet