O Que está faltando?

Qua, 22 de Junho de 2011 10:29

 Portal SerraSC lança a série “O que está faltando?”

 

MURALSão Joaquim - No ano de 2010 elegemos deputados, senadores, a primeira mulher presidente do país e um governador serrano. Em 2012 votaremos para os cargos de prefeito e vereadores. Somos cidadãos, estamos fazendo a nossa parte?
Nosso dever é cobrar das autoridades o correto emprego do dinheiro público, benfeitorias que tenham abrangência do maior número possível de pessoas e o suprimento de necessidades básicas como educação, saúde e segurança pública. Mas, também, temos que cumprir com a nossa parte pagando corretamente os impostos, cuidando do nosso próprio jardim e contribuindo para a formação de uma sociedade melhor.Estamos ouvindo a pelo menos quatro anos que o momento da Serra Catarinense chegou, que somos a bola da vez e que o desenvolvimento com geração de emprego, renda e investimentos finalmente vai acontecer.

O Portal SerraSC está a um ano no ar e busca sempre mostrar as vertentes positivas do que está acontecendo, para motivar e incentivar poderes públicos e privados e a comunidade em geral a abraçar as causas que realmente nos farão crescer.
Para continuar nesta linha de ação, o Portal lança hoje, dia 09 de junho de 2011, a série “O que está faltando?”. Já que somos a bola da vez, o que falta fazer para que tenhamos um Festival de Inverno digno de nossas belezas e encantos? O que falta fazer para que o Projeto Acorde saia do papel? O que falta fazer para que cada cidadão cuide da sua casa, da sua rua e não jogue, por exemplo, papéis no chão?
O que falta fazer para que o aeroporto se torne uma realidade? O que falta fazer para que tenhamos um calendário de eventos construído por todos? O que falta fazer para termos governos que coloquem em prática o conceito de gestão participativa? O que falta fazer para finalizarmos a obra da rodovia Caminhos da Neve?

Estes e outros questionamentos são feitos diariamente pela equipe do Portal SerraSC e queremos levá-los até você, nosso leitor, para que juntos possamos encontrar algumas repostas. Por isso, se você tiver alguma sugestão de tema que possa ser trabalhado em nossa série, encaminhe um e-mail para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br. Muitas vezes nossas expectativas são as mesmas que as suas e podemos juntos mostrar “o que está faltando”.

Há 18 anos atrás

Em 1993, o jornal Mural, na época em sua sétima edição, trazia em sua capa a chamada “A nossa cidade poderá ficar assim” e lendo as páginas do jornal percebemos que muitas coisas que se discutiam na época, como a rodovia Caminhos da Neve, por exemplo, ainda são temas de discussão 18 anos depois. Como naquela época, pretendemos mostrar a você leitor, o que está no papel e que poderia realmente fazer com que o nosso município se desenvolva.
Participe conosco desta série e nos ajude a mostrar “o que está faltando?”. Podemos sim mudar a nossa realidade, é uma questão de escolha.

O que está faltando para o Festival de Inverno acontecer?

 

Escultura em GeloSão Joaquim - O Portal SerraSC lançou ontem, dia 09 de junho, a série de matérias que leva o título “O que está faltando?”. Como primeira matéria e como estamos iniciando a temporada de inverno, vamos abordar um tema que está sendo discutido há muito tempo no município de São Joaquim, o Festival de Inverno.
    O inverno é considerado a alta temporada do município de São Joaquim, ou seja, o momento do ano em que recebemos o maior número de turistas para conhecer as nossas belezas naturais, saborear a gastronomia típica e aproveitar as deliciosas sensações provocadas pelo frio. Porém, um dos grandes gargalos que temos no município é a falta de opções de lazer para o turista.

    O que você acha que um Festival de Inverno que contemple as seguintes atrações:

1.    Pista de Patinação no Gelo no centro da cidade de São Joaquim, disponível nos meses de junho e julho para turistas e moradores;
2.    Esculturas no gelo na Praça João Ribeiro que seriam feitas pelos próprios escultores do município, valorizando estes profissionais e mostrando o talento de nossa população. As esculturas seriam realizadas também nos meses de junho e julho;
3.    Utilização da Casa do Turista com fogo de chão, contador de causos, apresentações artísticas da invernada, corais e orquestra de São Joaquim. Atividades com agendamento prévio e desenvolvidas com a população local nos meses de junho e julho;
4.    Ciclo de apresentações artísticas nos restaurantes e rede hoteleira do município. Apresentações essas que seriam realizadas diariamente para que os turistas pudessem conhecer um pouco da nossa cultura nos meses de junho e julho.
5.    Apresentações culturais na concha acústica do município, com corais, orquestra e grupos de dança locais. Meses de junho e julho.
6.    Transformação da Casa da Cultura, nos meses de junho e julho, em um cinema, para que a população local tenha acesso a esta arte e também para que os turistas tenham mais uma opção de lazer.
7.    Festpark com piscina de bolinhas, cama elástica e outros brinquedos para as crianças também nos meses de junho e julho.

Patinação em GeloO que você achou do festival acima descrito? Um projeto similar a este para o Festival de Inverno existe e o orçamento previsto para o mesmo com um mês de atividades é de aproximadamente R$ 150 mil. Caso as atividades sejam estendidas para dois meses, junho e julho, o valor do projeto seria de aproximadamente R$ 250 mil. O que está faltando para que o Festival de Inverno aconteça? Recursos?!? Vontade?!? Pressão política?!? União do trade turístico e da comunidade?!?
    O projeto está pronto e a temporada de inverno já começou. O que está faltando?    

 

 O que está faltando para colocarmos em prática o conceito de Gestão Participativa?

 

São Joaquim - O conceito de Gestão Participativa é muito utilizado nas universidades e empresas que buscam junto a seus colaboradores soluções para o crescimento, desenvolvimento e aperfeiçoamento de suas práticas. Apesar de ser muito utilizado pela iniciativa privada, o conceito de gestão participativa pode e deve também ser utilizado pelo poder público.
    Segundo o autor D. Maranaldo, no livro Estratégia para a competitividade, a Administração Participativa é o conjunto harmônico de sistemas, condições organizacionais e comportamentos gerenciais que provocam e incentivam a participação de todos no processo de administrar, visando por meio dessa participação, o comprometimento com os resultados. Ou seja, a administração participativa busca o comprometimento de todas as pessoas, busca ouvir opiniões e juntos encontrarem as soluções que visem o bem coletivo.


     O leitor Cau Bolzani escreveu ao Portal SerraSC em resposta a matéria “O que está faltando para o Festival de Inverno acontecer?”. “Penso que falta comunicação entre a sociedade e o poder executivo e vice versa! Antes da realização da Semana do Município, boa parte da comunidade, através das entidades que solicitaram a revisão da Festa Nacional da Maçã, se propuseram a discutir este evento [Festival de Inverno]. O Executivo Municipal se comprometeu a chamar as entidades no momento oportuno. Ainda temos tempo”, afirmou Cau.
    Como membro do Conselho Municipal de Turismo, Cau faz a sugestão: “A entidade deve solicitar a Secretaria Municipal de Turismo uma audiência para discutir o que fazer, como e para que público alvo”, declarou.
    Cau, em suas palavras mostrou o que teóricos da administração publicam em livros desde a década de 80. “Com certeza, consultando a comunidade e o trade erraremos menos. Aplicaremos melhor os recursos e, sem sombra de dúvidas, a comunidade joaquinense aproveitará melhor o evento. Sem contar nos visitantes que todo anos circulam pela região movimentando nossa economia. Com um evento bem planejado, organizado e executado, os turistas voltarão outros anos e em outras épocas com muitos amigos. Não acredito em desenvolvimento sem envolvimento e comprometimento”, escreveu o leitor.
    Duas vertentes sustentam a gestão participativa, sendo estas a participação de todos e o comprometimento total com os resultados. Percebemos no nosso município que o conceito de gestão participativa é pouco ou nada aplicado em todas as esferas, municipal, estadual e da própria iniciativa privada e comunidade. Como falou Cau, falta diálogo do poder público para com a comunidade e vice-versa.

    Diversas são as ferramentas para a aplicação do conceito de gestão participativa, uma delas é a audiência pública, onde os gestores municipais e estaduais colocam problemas e oportunidades em uma reunião com a comunidade para que se discuta e se chegue a uma conclusão se é ou não interessante que se faça algo. “A participação de todos significa que, a princípio, nenhuma pessoa, em qualquer nível, deve ser excluída do processo participativo".
    O que está faltando para colocarmos em prática o conceito de gestão participativa? Participação mais ativa da comunidade? Abertura do poder público? Diálogo?
    Participe você também da nossa série. Escreva para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br. Ajude-nos a mostrar possibilidades e formas para tornarmos o nosso município melhor.

O que está faltando para a rodovia Caminhos da Neve se tornar uma realidade?

 

Caminhos da Neve São Joaquim - Na edição de 17 de maio de 1993, o Jornal Mural publicava uma nota que dizia: “Caminhos da Neve – Ideia existente há muitos anos como ‘estrada do meio’, agora renovada pelo jornalista Rogério Martorano, o projeto ‘Caminhos da Neve’ pretende uma maior integração com o Rio Grande do Sul através de Bom Jesus, ligando a região das Hortênsias (Gramado, Canela, São Francisco de Paula e Nova Petrópolis), grande pólo turístico da região Serrana do Rio Grande. O projeto teve grande aceitação nos dois estados, acontecendo assim vários encontros de trabalho tanto aqui em São Joaquim como em Bom Jesus e São Francisco de Paula”.

     As ideias de 1993 pareciam finalmente sair do papel no dia 08 de outubro de 2007, 14 anos depois. As obras da rodovia Caminhos da Neve iniciadas em 2007 tinham como promessa a finalização dos 29,5 Km de extensão em outubro de 2008. Porém, estamos em junho de 2011 e a rodovia ainda não se tornou uma realidade.

    Governadores empossados e eleitos chegam na Serra Catarinense e a primeira promessa que fazem é de finalização das obras da rodovia. O que está realmente faltando para que a rodovia saia do papel? O Rio Grande do Sul se uniu e em diversas reuniões regionais definiu que o término da rodovia é sua prioridade e com isto buscarão até o Copa de 2014 finalizar os mais de 30 Km que cabem ao estado.
    E Santa Catarina, o que está fazendo? Em visita a São Joaquim no dia 22 de outubro de 2010, Raimundo Colombo agradeceu os votos da comunidade do município e da Serra Catarinense e afirmou que a única decisão que tomou antes de assumir o governo é a continuidade das obras da estrada Caminhos da Neve. “Faremos uma nova concorrência para dar continuidade imediatamente a obra. Este é um compromisso que assumo com a comunidade”, declarou. Infelizmente, o que se viu foi a retirada do maquinário e dos militares que trabalhavam na obra e agora restam buracos e acessos deixados pela metade.
    Todos sabem que a rodovia será um importante elo entre as regiões serranas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, promovendo o desenvolvimento do turismo e permitindo que os produtores rurais possam escoar a sua produção sem ter tantas perdas. Ao que parece somente a comunidade percebe a importância da rodovia, já que entram políticos e saem políticos e a situação continua a mesma.
    O Rio Grande do Sul definiu a rodovia como prioridade. O que está faltando para Santa Catarina fazer o mesmo? Será que vamos esperar mais 18 anos para a inauguração completa da rodovia? O que é preciso fazer para que o projeto seja realizado?
    Participe da série “O que está faltando?”. Escreva para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br. Ajude-nos a mostrar as possibilidades para transformarmos o nosso município.

O que está faltando para deixarmos São Joaquim mais bonita?

 

São JoaquimSão Joaquim - A cidade de São Joaquim possui belezas naturais únicas, aqui acontece um dos mais belos fenômenos da natureza – a neve, somos elogiados por sermos um povo hospitaleiro e que sabe bem receber. Já que temos tantas qualidades, o que está faltando para deixarmos a cidade mais bonita? Quando falamos em deixar a cidade mais bonita envolvemos todos os setores, poderes e a comunidade em geral, pois a responsabilidade de cuidar da cidade é de todos. Lembram-se das campanhas realizadas pela Protur na década de 90 como São Joaquim um grande Jardim?

Iniciativas como aquela deixaram o município florido e limpo. A campanha buscava mostrar que se cada um fizer a sua parte teríamos um município bonito e aconchegante para quem morava aqui e para quem viesse nos visitar.

A ideia de que cada um deve fazer a sua parte continua muito atual. A comunidade pode limpar o seu jardim, pintar a sua casa, o seu portão e colaborar, principalmente, com o lixo. Não jogar lixo no chão é uma prova de educação e colaboração para termos uma cidade mais limpa. A prefeitura municipal espalhou pelas ruas do centro da cidade, e há projeto para os bairros, diversas lixeiras e elas estão ali para serem utilizadas.
Os poderes públicos podem arrumar as ruas – tapando buracos, arrumando calçadas, pintando -, arrumar as entradas da cidade – de portal a portal com flores, pintura e manutenção -, deixar o belvedere mais bonito e outras medidas simples, baratas e de resultados imediatos.
Deixar São Joaquim mais bonita beneficiará, principalmente, a comunidade que passa todos os dias pelas ruas, que terá mais prazer em passear e terá orgulho de viver em um lugar bonito e atrativo. Além disso, mostrará ao turista que temos muitas qualidades além das já citadas, mostrará que somos um povo preocupado com o nosso bem estar.

O que está faltando para deixarmos São Joaquim mais bonita? Iniciativa? Vontade? Comprometimento? Se cada um fizer a sua parte, o todo será beneficiado e os resultados serão percebidos em pouco tempo.
Está é a quinta matéria do Portal SerraSC para a série “O que está faltando?”. Colabore, mande suas sugestões sobre o que está faltando para termos um lugar melhor para viver. Encaminhe seu e-mail para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br.

O que está faltando? Pista de Patinação no Gelo

 

Pista de àtinaçãoSão Joaquim - Em resposta a matéria O que está faltando para o Festival de Inverno acontecer? o leitor Marcelo Luís Schmitt nos mandou matérias publicadas na mídia de uma pista de patinação no gelo no Floripa Shopping, em Florianópolis, e também sobre a empresa BR-Ice, que atua no mercado brasileiro como representante da Ice-World Internacional, uma empresa líder mundial em pistas de gelo.
A matéria publicada sobre o Floripa Shopping explica que a pista de patinação no gelo é uma opção de lazer no inverno de Florianópolis e que estará disponível até o dia 14 de agosto. “A estrutura possui uma pista de mais de 240 m², 180 pares de patins, acessórios de segurança, entre capacetes e cotoveleiras, além de atendentes e instrutores. A pista está aberta desde o dia oito de junho na praça central do shopping, localizado na SC-401, em Florianópolis”, fala a matéria publicada no jornal Diário Catarinense.

“Os ingressos custam R$ 25 para permanência de 30 minutos na pista, R$ 40 para uma hora e R$ 10 para cinco minutos no trenó especial para crianças menores de cinco anos, e estarão à venda na bilheteria, na
Praça de Eventos do Floripa Shopping”, finaliza o texto.

Já o texto sobre a empresa BR-Ice diz que “o grande destaque dos produtos é a tecnologia de montagem de pistas, demorando poucas horas e gastando menos energia do que outras pistas de gelo, além de ter um belo layout e de não vazar (sistema "no leaks")”.
Se até mesmo em Florianópolis, cidade litorânea há pista de patinação no gelo, o que impede São Joaquim de ter uma? Empresas que trabalham com este material existem e inclusive a pista está contemplada no projeto que está nas mãos da prefeitura municipal de São Joaquim e da Secretaria de Desenvolvimento Regional.
O que está faltando para que o projeto do Festival de Inverno seja colocado em prática? Falta pressão política? Vontade? Comprometimento? União? Parceria?
Assim como Marcelo, você também pode colaborar com a nossa série e enviar sugestões sobre o que acredita estar faltando para que o nosso município cresça. Encaminhe o seu e-mail para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br. Identifique-se e mostre que juntos podemos transformar São Joaquim.

O que está faltando para que as estradas do interior sejam arrumadas?

 

Estradas InteriorSão Joaquim - No dia 1º de abril o Portal SerraSC fez uma brincadeira alusiva ao Dia da Mentira e publicou uma série de acontecimentos que toda população do município de São Joaquim deseja que aconteçam. Entre os temas estavam as estradas do interior, que em nossa brincadeira haviam sido arrumadas e preparadas para o escoamento da produção de maçã.

Há muito tempo a precariedade da estrutura das estradas do interior é tema de discussões, reuniões e pleitos em São Joaquim. Arrumar as estradas significa dar condições para que os produtores rurais, especialmente, os da fruticultura que são responsáveis por 70% da nossa economia, possam trabalhar com o mínimo de condições e possam escoar a sua produção com menos perdas.

No dia 05 de fevereiro deste ano, os produtores da localidade de Santa Isabel fizeram um protesto pedindo por melhorias nas estradas. Um protesto pacífico e indignado com a falta de infraestrutura mínima.
Sabemos que o município de São Joaquim é o maior de Santa Catarina em extensão territorial. Porém, nem mesmo a extensão ou o mal tempo servem como justificativa para que caminhões não consigam sair das propriedades rurais carregados de maçã como aconteceu na localidade de São João.
A prefeitura municipal, nas comemorações do Dia do Município, apresentou caminhões, tratores e maquinário. Onde estão estas máquinas? O Governo do Estado deixou a rodovia Caminhos da Neve, por exemplo, de lado, dificultando o escoamento da produção de importantes localidades como São Francisco Xavier, São João e Boava.

Onde o maquinário está sendo utilizado? Por que as estradas continuam em péssimo estado de conservação? O que está faltando para que as estradas do interior do município sejam arrumadas?
Protestos, pagamento de impostos, pedidos, manifestações, declarações e muitas outras atitudes já foram tomadas pela população para que esta situação se resolva. Muito se tem falado pelo poder público de que a responsabilidade também é da comunidade. Estão certos, porém, é preciso que sejam oferecidas condições mínimas para que a comunidade possa fazer a sua parte.
Até quando ficaremos ouvindo promessas? Entra ano, sai ano e passam-se as safras e a situação continua a mesma. O que está faltando?
Participe da nossa série, mande sugestões para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br. Identifique-se e juntos vamos mostrar o que está faltando para São Joaquim ser melhor.

O que está faltando para a limpeza de São Joaquim?

 

mutirão de limpezaSão Joaquim - Neste domingo, dia 19 de junho, a comunidade, o comércio, o trade turístico e representantes da Secretaria de Desenvolvimento Regional realizaram um mutirão de limpeza que passou pela Rua Major Jacinto Goulart. Em três horas de trabalho foram retirados diversos sacos de lixo e um trator com carretinha ficou cheio com o lixo coletado.
    Andando pelas ruas da cidade é possível perceber como a nossa população está mal acostumada. Apesar de a prefeitura ter espalhado diversas lixeiras no centro da cidade, as pessoas insistem em jogar o lixo no chão, desde um simples papel de bala ou o resto de um cigarro até folhetos de lojas e jornais.


    É verdade que precisamos cobrar das autoridades que dirigem a prefeitura medidas para a limpeza da cidade, porém, é preciso que cada um faça a sua parte. Se a cidade está suja e com lixo espalhado por todos os cantos, é porque alguém jogou este lixo no chão. O raciocínio é simples e as medidas para melhorar a situação mais simples ainda.
    Ao invés de jogar lixo no chão, utilizar as lixeiras espalhadas pela cidade. Ao invés de jogar o resto do cigarro no chão, apague corretamente e jogue no lixo o filtro. Caso não encontre uma lixeira próxima, guarde no bolso, coloque na bolsa e depois descarte corretamente.
    O lixo é de responsabilidade de quem o produz e deixar a cidade limpa, não jogando o lixo no chão, é uma obrigação e um sinal mínino de educação. O que está faltando para deixarmos São Joaquim limpa?
    O comprometimento de cada cidadão é o primeiro passo para vivermos em um lugar melhor.
    Mande suas sugestões para a série O que está faltando? e nos ajude a mostrar como São Joaquim poderá ser melhor. Encaminhe seu e-mail para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br.

O que está faltando para o Projeto Acorde sair do papel?

 

Projeto AcordeSão Joaquim - Em agosto de 2009 uma nova esperança e a promessa de desenvolvimento para São Joaquim aconteceu. Neste dia foi lançado oficialmente pelo Governo do Estado de Santa Catarina, o Projeto Acorde – Ação Conjunta de Revitalização e Desenvolvimento de São Joaquim.
O projeto tem como objetivo principal “viabilizar o desenvolvimento sustentável de São Joaquim, elaborando estudos e projetos para direcionar políticas públicas e ações em infraestrutura turística, articulando e dando subsídios para que o primeiro, o segundo e o terceiro setor transformem a região no melhor destino turístico de inverno do Brasil”.

Passados dois anos, poucas ações do projeto saíram do papel. Recentemente foram entregues os estudos realizados pela Univalli e no dia 16 de junho foi realizada uma reunião na Secretaria de Desenvolvimento Regional de São Joaquim com os prefeitos dos municípios da Serra Catarinense com o objetivo de elucidar sobre o escritório de inovação tecnológica, um dos pontos abordados pelo projeto.
Muitas reuniões, estabelecimentos de prioridades, validação das prioridades, muita conversa, porém, nada de efetivo realmente saiu do papel. O projeto prevê, entre outras questões, o contorno viário para desviar o tráfego pesado de São Joaquim, Estudos de IDH Educacional para o desenvolvimento de políticas públicas, Estudo para armazenagem descentralizada da maçã, Estudos de IDH de Saúde para melhorar o atendimento da Serra Catarinense, Projeto de complementação do Anel da Maçã, Programa de qualificação e re-qualificação de pessoas, Estudo e projeto de agregação de valor da agroindústria familiar e Projeto de revitalização urbana de São Joaquim. Todos os pontos acima citados foram abordados pelo Portal SerraSC em setembro de 2010 e podem ser acessados com detalhes no próprio Portal.

Mais uma pontinha de esperança sobre a efetivação das atividades do projeto Acorde foi dada no dia 28 de abril de 2011, onde o secretário de planejamento do governo estadual, Felipe Melo, disse: “O Projeto Acorde pode ser considerado um plano de governo e servirá de modelo para as demais regiões. Assumo o compromisso e garanto que o projeto não será engavetado”.
Elisa Santana de Liz, diretora de turismo, cultura e esporte do governo do estado, no mesmo dia declarou: “Todas as informações foram reunidas neste documento [estudos realizados pela Univali]. Levantamentos, necessidades e projetos estão prontos. Agora é o momento de partir para ação”.
O projeto está pronto. Os estudos foram realizados. As pessoas que trabalham com o Acorde diretamente afirmaram que este é o momento de partir para ação. Então, o que está faltando para que o Projeto Acorde saia do papel? União do governo estadual, prefeitura e população? Pressão da comunidade? Comprometimento com a cidade? Será que mais uma vez ficaremos na promessa?
Acompanhe e participe da nossa série. Escreva para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br. Identifique-se no e-mail e vamos tentar mostrar que projetos e ideias existem, porém, precisamos tirá-las do papel para vermos nossa cidade crescer e melhorar.

O que está faltando para que os buracos das ruas de São Joaquim sejam tapados?

 

Buracos das ruasSão Joaquim - Andar de carro pelas ruas de São Joaquim se tornou uma verdadeira aventura e não estamos falando apenas das ruas dos bairros, mas das ruas do centro também. Buracos enormes tornam cada saída de carro um desafio a ser vencido.
    Na Rua Major Jacinto Goulart, que faz parte da rodovia SC 438 – de responsabilidade do Governo do Estado, os buracos e as emendas feitas nos mesmos fazem com que o condutor não consiga passar a terceira marcha. Nas ruas próximas ao NEP – Núcleo de Educação Profissional – estas de responsabilidade da Prefeitura Municipal, há pedaços de asfalto e o motorista precisa andar pelo acostamento e fazer zig zag para tentar desviar dos buracos imensos.

    Estes são apenas dois exemplos de lugares onde passar de carro é um verdadeiro problema para os motoristas. Muitos outros lugares estão na mesma ou em pior situação. O problema está tão grande, que os moradores da Rua Dioclécio Furtado fizeram, eles próprios, uma operação tapa buracos no início do mês de junho.

    Em Porto Alegre, alguns publicitários se reuniram e fizeram um protesto bem humorado contra os buracos na rua. Eles transformaram a rua em um campo de golfe, tamanho o número de buracos na mesma. O protesto deu resultados e ganhou mídia nacional. A prefeitura tapou os buracos, pelo menos daquela rua.
    Os impostos pagos pelos cidadãos deveriam ser utilizados para segurança pública, saúde, educação, manutenção das ruas e rodovias, entre tantas outras necessidades. Para onde está indo o dinheiro dos impostos? O que está faltando para que a prefeitura e o governo do estado façam alguma coisa para melhorar a malha viária do município de São Joaquim? Até quando turistas e moradores precisarão desviar de tantos buracos?
    Escreva para nós, mande suas fotos e reclamações. Encaminhe as suas sugestões para a série O que está faltando? nos e-mails serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br. Estamos esperando o seu comentário.

O que está faltando para a capacitação de mão de obra em São Joaquim?

São Joaquim - Uma das maiores reclamações do comércio e do trade turístico em São Joaquim é com relação a mão de obra. As queixas mais freqüentes são da falta de qualificação e dos altos índices de rotatividade.
    Quando se fala nos índices de rotatividade, muitas variáveis estão envolvidas como salário, novas oportunidades, entre outros. Porém, quando se fala em qualificação, temos que concordar que oportunidades para que as pessoas se qualifiquem não faltaram nos últimos anos.
    Em 2009 e 2010 o Núcleo de Educação Profissional abriu vagas em diversas áreas do conhecimento desde informática até turismo. No ano de 2011, foram oferecidos os cursos do Pró-Jovem e alguns não saíram do papel por falta de procura.
    Em cidades próximas a São Joaquim, como Lages, por exemplo, há o Senac, Urupema terá o IFSC. O Telecentro Municipal estava oferecendo cursos gratuitos para a população. E para quem gosta de internet, basta utilizar as ferramentas de busca para encontrar muitas opções de cursos à distância e, muitas vezes, gratuitos.
    Há uma reclamação de falta de qualificação de mão de obra em São Joaquim. O que está faltando para que as pessoas busquem oportunidades e meios para se qualificar?

    O tempo não pode ser, pois os cursos online podem ser realizados a qualquer momento. A falta de recursos também não pode ser desculpa, pois cursos como o do Pró-Jovem, por exemplo, além de gratuitos, pagam bolsa para os estudantes.
    No Brasil, só se fala em Copa de 2014. Muitos acreditam que a Serra Catarinense não receberá muitos visitantes neste período. Pois, me desculpem as pessoas que pensam assim, pois cada vez mais temos recebido turistas estrangeiros e serão estas pessoas que virão para cá durante a Copa. Estamos nos capacitando para receber estas pessoas?
    O mercado de trabalho está cada vez mais concorrido e a qualificação é o primeiro ponto para que uma pessoa seja contratada ou dispensada. O que estamos fazendo para nos qualificarmos? O que está faltando para que a comunidade perceba que São Joaquim vai crescer e vai cada vez mais precisar de pessoas capacitadas e aptas?
    O crescimento e desenvolvimento de São Joaquim depende dos governos federais, estudais e municipais, mas depende e muito de nós. Se nós nos capacitarmos estaremos contribuindo para que São Joaquim cresça e se desenvolva. Que tal pensar nisso?

 O que está faltando para que as praças de São Joaquim sejam iluminadas?

São Joaquim - São Joaquim foi novamente brindada pela neve na noite de ontem, dia 26 de junho. Caminhar pelas ruas e ver a euforia das pessoas é realmente algo que emociona e nos faz perceber que vivemos em lugar abençoado. Porém, ao andar pelas ruas ontem a noite uma cena chamou a atenção: a Praça João Ribeiro, em frente a igreja, estava vazia.
    A praça não estava vazia porque não haviam pessoas nas ruas, a praça estava vazia pois não há iluminação e a escuridão da mesma causa medo. Percebemos que diversos turistas e moradores estavam rodeando a praça, mas ninguém andava por ela.

    Algumas pessoas já haviam chamado a nossa atenção sobre este fato, mas nunca o problema foi tão facilmente percebido como ontem. E o privilégio da escuridão não é apenas da Praça João Ribeiro. Na Cesário Amarante o problema é recorrente. Os turistas estavam aglomerados em frente a Casa do Turista, mas dentro da praça, a escuridão não agradava.

    Nossas praças são muito bonitas e até mesmo bem cuidadas. Porém, no período da noite não é possível contemplar essas belezas. O que está faltando para que as praças sejam iluminadas? Faltam projetos? As pessoas responsáveis precisam andar pelas mesmas no período da noite para perceberem o problema? De quem é a responsabilidade?
    As praças são pontos turísticos, mas acima de tudo, são utilizadas pela população local. A escuridão passa uma forte sensação de insegurança e medo. As praças são belas e merecem uma iluminação mínima para que se possa admirar tamanha beleza.
    No dia 24 de maio de 2010, ventos fortes derrubaram o poste de iluminação da Praça João Ribeiro e desde então a mesma está às escuras. O que está faltando para que as praças sejam iluminadas?
    Assim como a falta de iluminação nas praças chamou a nossa atenção, o que você acredita que pode ser melhorado em nosso município? Contribua para a nossa série, mande suas sugestões para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br e faça a sua parte enquanto cidadão. A sua participação nos ajudará a melhorar São Joaquim.

O que está faltando para utilizarmos a Casa do Turista?

Casa do TuristaSão Joaquim - Mais um inverno chegou a São Joaquim e a cidade está repleta de turistas. No município, na Praça Cesário Amarante, há uma construção chamada de Casa do Turista, porém, ela é utilizada eventualmente para eventos e a maior parte do tempo fica fechada.
    A Casa do turista foi criada, inicialmente, para atender os turistas que chegam a São Joaquim, tanto que leva este nome e sua estrutura conta com lareira, palco para apresentações culturais, mesas e amplo espaço para que o visitante se sinta aconchegado em nossa cidade.
    
    O que está faltando para utilizarmos a Casa do Turista? Em diversas reuniões do poder público municipal com o trade turístico foi colocada a possibilidade de se fazer uma agenda de atividades na Casa do Turista. Atrações como contador de causos, apresentações das invernadas artísticas, exposições fotográficas, apresentações de músicos locais, entre outras atividades, fariam parte da agenda em horários determinados.
    A iniciativa poderia acontecer, inicialmente, nos meses de junho, julho e agosto, os meses de alta temporada. Esta é uma forma de atrair o turista e acolhe-lo de uma forma melhor. Faço a pergunta novamente, o que está faltando para que a Casa do Turista seja utilizada para o turismo? Recursos? Mão de obra? Vontade?
    Mais um inverno chegou, mais uma vez teremos a Casa do Turista fechada?
    Contribua para a nossa série. Mande suas sugestões e reivindicações para serrasc1@hotmail.com e roseane@natrilhacerta.com.br. Vamos atuar como cidadãos conscientes do que desejam para sua cidade.

O que está faltando para que o aeroporto seja concluído?

AeroportoSão Joaquim - Uma das grandes promessas de desenvolvimento para São Joaquim é o aeroporto, um briga antiga e que aos poucos, bem aos poucos, está sendo realizada. Nesta primeira fase está sendo construída a pista, porém, a inauguração da mesma já deveria ter acontecido no ano de 2010.
    Em janeiro de 2011, em entrevista com a secretária de desenvolvimento regional de São Joaquim, Solange Scortegagna Pagani, a mesma afirmou que a data havia mudado e que o aeroporto seria inaugurado em março deste ano.

A última data passada para a imprensa sobre a inauguração é que a mesma acontecerá no mês de julho. Vale lembrar que estamos falando apenas da pista, o restante do aeroporto ainda não foi licitado e nem tem previsão para que isto aconteça.

    O projeto do aeroporto de São Joaquim compreende uma pista com 1.700 metros, um hangar, um terminal para passageiros e o acesso da SC 438 ao mesmo. Para realização destas obras, o projeto foi dividido em duas partes, a primeira com a pista de 1.300 metros e um investimento estimado em 6 milhões de reais e a segunda com a construção dos demais itens e sem orçamento previsto até o momento.

    Diversas pessoas acreditam que o aeroporto de São Joaquim será um divisor de águas para o município, trazendo desenvolvimento não apenas para o turismo, mas também para o escoamento da produção. Já que o aeroporto será tão importante para São Joaquim e para a região serrana, o que está faltando para que as obras, das duas etapas do projeto, sejam concluídas? Será que vamos esperar 10 anos como está acontecendo com o aeroporto de Correia Pinto?
    O Governo do Estado acaba de liberar, no início do mês de junho, aproximadamente R$ 1.500.000,00 para continuação das obras do aeroporto de Lages. E o de São Joaquim? Até quando vamos marcar novas datas para inauguração da pista? E a segunda parte do projeto, quando vai ser iniciada?
    O que está faltando para que o aeroporto seja concluído? Vontade política? Manifestações da comunidade? Comprometimento do governo com a região? Qual o prazo final para entrega do aeroporto pronto?
    Participe você também da série O que está faltando? Faça sua parte e mande um e-mail com sugestões para serrasc1@hotmail.com ou roseane@natrilhacerta.com.br.

O que está faltando para termos mais segurança pública?

Segurança PúblicaSão Joaquim - Ao conversar com as pessoas pelas ruas de São Joaquim, principalmente os mais velhos, sobre segurança pública é inevitável ouvir “a cidade não é mais a mesma, a violência está em toda parte e os cidadão de bem estão se escondendo a cada dia”. O discurso das pessoas mostra que como em todas as cidades brasileiras, o aumento da violência tem assustado também os moradores de São Joaquim.

    Em 07 de abril deste ano, a Câmara de Dirigentes Lojistas promoveu uma reunião com entidades, comunidade, membros da polícia civil, militar, o juiz Fernando de Castro Farias e o promotor Samuel Dal-Farra Naspolini. O tema da reunião foi a segurança pública em São Joaquim e o que precisa ser feito para que o problema seja resolvido.
    Na reunião, um dos maiores problemas apontados pelas autoridades foram as condições das cadeias públicas. São Joaquim conta com 65 detentos e as instalações da cadeia encontram-se precárias. “Temos uma visão errada de que o preso pode ser colocado de qualquer forma na prisão. É preciso oferecer condições mínimas e dignas para estas pessoas”, declarou o juiz na ocasião.

    A falta de efetivo das polícias militar e civil e do corpo de bombeiros também foi tema de discussão. “A polícia de São Joaquim está vulnerável. Temos apenas uma viatura trabalhando por dia. Além disso, muitos homens se aposentaram ou estão se aposentando e não são repostas estas vagas”, declarou o Tenente da Polícia Militar, Charles Garcia.
    As possíveis soluções para minimizar o problema da segurança pública em São Joaquim foram apresentadas na reunião: reforma da cadeia pública e aumento do efetivo. Por que estamos esperando? Nada ainda foi divulgado sobre projetos e atividades que contemplem estes dois problemas.
    O que está faltando para termos mais segurança pública? Quando serão realizados investimentos?
    Na reunião foi colocado que a discussão sobre o tema não pode parar. A comunidade precisa também se envolver para pressionar governos e órgãos responsáveis para que tomem as medidas necessárias. A discussão precisa se manter viva.
    Mande suas sugestões para a série o que está faltando? Vamos juntos tentar mudar São Joaquim para melhor.

 

 
2011 Rodrigo Produções Internet Design - Tecnologia Progressiva para a Internet