O clima diferenciado tornou São Joaquim famosa nacionalmente

São Joaquim 133 Anos – A partir de 1873, com a fundação da freguesia de São Joaquim do Cruzeiro da Costa da Serra, a região recebeu descendentes de alemães e italianos, que se integraram ao processo de colonização. Em agosto de 1886, a freguesia tornou-se vila, emancipando-se em 07 de maio de 1887.

Considerada a cidade mais fria do Brasil, São Joaquim é conhecida como a “Cidade da Neve”, “Capital Nacional da Maçã” e “Capital Catarinense dos Vinhos Finos de Altitude”. No inverno, torna-se um berço de frio e beleza, proporcionado pela paisagem em conjunto com a neve. As nevascas geralmente ocorrem entre junho e agosto, estendendo seu branco lençol sobre os montes, telhados, montanhas, planaltos, vales e taipas centenárias, proporcionando, assim, uma visão emocionante.

Também ocorrem freqüentemente, no município, fortes geadas, que contribuem para o embelezamento do cenário local. Para receber os visitantes, além do calor humano do joaquinense, a cidade conta com vários hotéis e pousadas aconchegantes, aquecidas pelo calor das lareiras e fogões a lenha.

Sendo um dos grandes produtores de maçã, o município oferece outro espetáculo aos visitantes com a florada e a colheita da maçã, fruta essa, bela e saborosa, símbolo da tradicional “Festa Nacional da Maçã”. Desde 2005 com a inauguração da Vinícola Villa Francioni, São Joaquim é referência com a qualidade dos vinhos. Hoje é reconhecida como a Capital Catarinense dos Vinhos Finos de Altitude.

Produtos como o queijo artesanal serrano, a goiaba feijoa, a carne de Frescal, a maçã Fuji, a neve, o verão agradável, os vinhos finos de altitude e a hospitalidade de seu povo, entre outros destaques, tornaram São Joaquim conhecida nacionalmente, recebendo visitantes nas quatro estações do ano.