Prefeituras da Amures decretam “guerra” ao novo coronavirus

Serra Catarinense – As prefeituras vinculadas a Amures endureceram nas últimas horas, as medidas de enfrentamento ao novo coronavirus. A restrições objetivam cumprir o decreto do governo do Estado e dos próprios municípios sob o enfoque da responsabilidade social. Eles tem como prioridade máxima a ordem de que as pessoas devem ficar em casa e evitar aglomerações, mesmo que em família.

“Nós estamos aqui por você. Por favor fique em casa por nós”, UBS Capão Alto

No decreto de situação de emergência assinado pelo prefeito de São Joaquim, Giovani Nunes com vigência de sete dias determina: “Fica limitada a entrada de pessoas nos estabelecimentos que comercializam medicamentos e gêneros alimentícios ao número máximo de quatro pessoas por caixa. Recomenda também, a distância mínima de um metro e meio entre as pessoas”.

Da mesma forma, o prefeito de Rio Rufino e presidente do Consócio Intermunicipal de Saúde Thiago Costa assinou decreto que suspende a circulação de veículos de transporte coletivo urbano municipal, intermunicipal e interestadual de passageiros a partir desta quinta-feira (19 de março), até dia 29 de março.

Atividade de serviços privados e públicos não essenciais como academias, restaurantes e comércio em geral, também estão suspensas. Entrada de novos hospedes em hotéis e pousadas rurais se enquadram nas mesmas restrições. Reuniões de qualquer natureza ficam suspensas por 30 dias, inclusive missas e cultos.

O decreto em Rio Rufino determina que as empresas instaladas no município operem com número mínimo de funcionários e pessoas vindas de grandes aeroportos nacionais e internacionais terão de ficar isoladas por no mínimo sete dias, sob monitoramento da secretaria de saúde.

Dentre outras medidas, a prefeitura de Rio Rufino denunciará ao Ministério Público qualquer abuso de preço praticado pelos comerciantes. Não diferente, prefeito em exercício de Palmeira, Sandro Masselai publicou decreto com suspensão de diversas atividades.

Como na rede púbica e privada de ensino, incluindo educação infantil, ensino fundamental e médio, educação de jovens e adultos, ensino técnico e ensino superior. No âmbito do Poder Executivo foram suspensos por sete dias, o atendimento ao público em todos os órgãos da Administração Pública municipal, exceto, nas unidades de atenção à saúde, de vigilância sanitária e no órgão municipal de proteção e defesa civil.

Enquanto durar o período de quarentena decretado pelo Governo Estadual, ficam suspensos os atendimentos agendados nas unidades de saúde que não sejam de urgência e emergência, bem como, os procedimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas. Foram suspensos também, pelo prazo de trinta dias, todos os eventos de qualquer dimensão, agendados para ocorrer em equipamento municipal, ou ainda, que tenham obtido alvará pelo órgão competente.

Além de todas essas restrições, o prefeito de Correia Pinto, Celso Rogério Ribeiro suspendeu por 30 dias os editais de abertura de processos licitatórios já publicados, exceto os pregões eletrônicos com caráter emergencial. Já o prefeito de Lages, Antônio Ceron publicou decreto com 17 artigos que reitera as ações preventivas do decreto estadual e reforça a situação de emergência que requer o momento.

Em Capão Alto, servidores da Saúde buscam a conscientização da população até em redes sociais. Com uma mensagem que diz: “Nós estamos aqui por você. Por favor, fique em casa por nós”.

Infos: Onéris Lopes