Santa Catarina avança na produção de lúpulo

Santa Catarina – A fatia ocupada por Santa Catarina no cenário brasileiro da cerveja artesanal é expressiva, assim como as iniciativas que tem surgido em torno da bebida. A produção de lúpulo, uma das principais matérias-primas da cerveja, começa a ganhar força, e o Estado também se destaca nesse segmento: 54 dos 119 participantes da Associação Brasileira de Produtores de Lúpulo (Aprolúpulo) estão em SC, e os resultados têm melhorado a cada ano.

A maior parte dos produtores se concentra na Serra Catarinense, atualmente são 30, que aproveitam as características climáticas e a altitude para investir no lúpulo. São cerca de 10 hectares no Estado, e a Aprolúpulo estima que possa chegar a 50 hectares em todo território nacional. Por enquanto, quase 100% do lúpulo utilizado no Brasil é importado, mas a ideia é mudar esse cenário nos próximos anos.

Para o presidente da associação, Alexander Creuz, a fase de experiência já passou. No ano passado, a criação da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Cerveja, junto ao Ministério da Agricultura, foi mais um passo importante. A Aprolúpulo é um membro permanente e com direito a voto, e será uma voz dentro do ministério em favor das demandas do setor.

Outros noves estados também fazem parte da associação. No Sul de Santa Catarina, Carlos Guilherme Esteves Kruger tem hoje meio hectare de lúpulo no interior de Meleiro. A ideia é investir na estrutura já para o próximo ano, e em breve chegar aos dois hectares plantados.

Hoje são cerca de 2,5 mil plantas, algumas com um ou dois anos, que ainda não atingiram o ápice da produção. No ano passado, ele entregou 10 quilos de lúpulo para uma cervejaria de Forquilhinha. O resultado foi satisfatório, e para essa safra, a expectativa é entregar o dobro, 20 quilos.

– O frescor de um lúpulo produzido aqui, e entregue na mesma safra, não tem comparação. A ideia é incentivar essa produção para que o agricultor que hoje tem outros cultivos possa apostar também no lúpulo – analisa Kruger.