Projeto quer desenvolver pequenos negócios da SerraSC

Serra Catarinense – Inúmeras famílias na Serra Catarinense vivem do comércio de produtos artesanais, a maioria deles fabricados na extensão da própria casa destes pequenos empreendedores, como é o caso da Marina Xavier de Moraes, proprietária da Doces Artesanais da Marina, de Salto Caveiras.

As três salas de produção de bolachas são uma extensão da casa de Marina, onde o trabalho diário começa às 7h e, dependendo da demanda, vai até meia noite. A produção é de até 200 quilos por semana, que é distribuída para as quatro feiras semanais de Lages.

É para promover o desenvolvimento do negócio de pessoas como a Marina que o Banco da Família está lançando um programa de apoio a empreendedores de pequenos negócios, o projeto Produtores da Serra, com ações de comercialização, divulgação e valorização dos produtos de produtores locais, a fim de gerar oportunidades de trabalho e renda. O programa tem apoio da iniciativa privada para exposição e comercialização dos produtos.

A primeira etapa do projeto já foi realizada e incluiu o desenvolvimento de canais de venda através de parcerias regionais, formalização, treinamento e acompanhamento dos produtores selecionados, desenvolvimento do plano de comunicação e a confecção de gôndolas na medida para cada parceiro. “Valorizar os negócios locais está no DNA do Banco da Família, que tem no desenvolvimento dos micronegócios e na geração de renda, a sua principal missão”, diz a presidente do Banco da Família, Isabel Baggio.

Para fazer parte do projeto os produtores passaram por um processo seletivo, onde foram analisados requisitos como qualidade, capacidade produtiva, certificações, dentre outros critérios, como o mix de produtos.

Geração de oportunidades

O sonho de Jaqueline Madruga – também conhecida por Ling – e Simone de Souza, donas da Lingmone Defumados, é ampliar o local de produção e também a variedade dos seus produtos, e isto só será possível se elas conseguirem aumentar as vendas. O projeto do Banco da Família poderá trazer para as “comadres” a tão esperada oportunidade.

Quem também espera aumentar sua produção é a Vivian Brandão, da fábrica de queijos Coxilha Rica. A produção do famoso Queijo Artesanal Serrano iniciou em 2018 e, atualmente, o processo envolve 4 pessoas. Mas Vivian quer começar a comercializar doce de leite, e um item a mais para ser fabricado exige mão de obra e precisa ter mercado, o que ela poderá conseguir com a oportunidade de expor seus produtos nos comércios da região.

Banco da Família

Com mais de 21 anos de atuação, o Banco da Família tem cerca de 20 mil clientes ativos em 128 municípios dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), o banco já concedeu mais de R$ 886 milhões em crédito em mais de 318 mil operações. Segundo a Associação Brasileira de Entidades Operadoras de Microcrédito e Microfinanças (Abcred), o Banco da Família é a maior instituição de microfinanças do Sul do país, tendo impactado nessas duas décadas mais de 1,3 milhões de pessoas.

Informações sobre o projeto e inscrições podem ser feitas pelo (49) 98408-1497.