Vem ABRAÇAR

Por Suzi Aguiar

Na semana em que comemoramos o Dia do Voluntário, quero contar da alegria de termos fundado a Associação ABRAÇOS – Casa Lar, cuja documentação segue em trâmites legais. Embora nossa equipe trabalhe junto ao abrigo há 11 anos, em diferentes frentes de trabalho, foi o número significativo de adesão na campanha para a compra de ar-condicionados e aquecedores, no início do inverno, que fomentou a demanda de termos uma conta bancária para as doações, facilitando a prestação de contas e, por isso, formalizando um trabalho de tanto tempo.

Somos mais de 50 pessoas envolvidas em diferentes frentes: toda terça-feira uma equipe leva frutas. Nas quintas, outras equipes levam guloseimas para o lanche da tarde. Cada um dos abrigados tem uma madrinha ou padrinho, cuja responsabilidade é visitá-los e levar um presente no aniversário. Para o Dia das Crianças, Natal e Páscoa, algumas madrinhas também levam presentes, ou convidamos outras pessoas para presenteá-los mesmo sem o vínculo de apadrinhamento. Procuramos tornar o abrigo um lugar mais semelhante possível de um lar. Não cansamos de agradecer muitíssimo a toda equipe por estarem junto a nós nesta caminhada.

Neste ano de 2020, contrariando as expetativas ruins, finalmente realizamos o sonho de montar uma equipe de profissionais para trabalharmos em favor do bem estar emocional das crianças. Tivemos o prazer e a honra de fazer parceiras com três joaquinenses que, mesmo morando fora, por videoconferência, ofereceram gratuitamente capacitação para toda a equipe técnica e educadoras da Casa. São elas a dra. Rubia Santos Ranzoni (assistente social), dra. Raquel Santos Vieira (psicóloga) e dra. Mayara Vieira Souza (fisioterapeuta).

As capacitações aconteceram em 4 módulos, em encontros on-line, onde foram apresentadas demandas e propostas de trabalho a ser realizado junto aos abrigados. Para a nossa alegria, esta parceria segue em 2021. Muito temos a agradecer a estas ‘meninas´, filhas de nossa terra, que nos orgulham pelo excelente trabalho que. A elas todo agradecimento é pouco, toda palavra insuficiente.

Acreditamos que ser voluntario é, sobretudo, um ato de amor e desprendimento. Podemos doar tempo, carinho, conhecimento, dinheiro e tantas outras coisas. As pessoas têm dons, disponibilidade, profissões diferentes, algumas têm vontade de ajudar, mas não sabem como. Muitas vezes as Instituições têm projetos lindos que não conseguem desenvolver por falta de apoio. Se você não tem tempo, doe um pouquinho de dindim, porque a gente vive de juntar centavo por centavo e isso não é vergonha. Só assim as coisas fluem!

Àqueles que não tem tempo, eu diria arrisque tentar. No começo é difícil, mas se a vontade de ajudar é verdadeira as coisas se encaixam. Lembre-se: “ninguém dá aquilo que não tem, ninguém ama o que não conhece.”

Você será convidado a se associar a Abraços, assim que a pandemia passar.

Vem abraçar!

Publicado em 7 de dezembro de 2020.